A ORAÇÃO DOS FILHOS DE DEUS

27 02 2015
repartir

Como são belos e grandiosos, irmãos caríssimos, os ensinamentos que nos revela a Oração do Senhor! São breves as palavras que os resumem, mas é grande o seu poder espiritual! […] Diz o Senhor: «Orai assim: Pai nosso, que estais nos Céus.» O homem novo, renascido e restituído ao seu Deus por meio da sua graça, diz em primeiro lugar «Pai», porque já começou a ser filho. Diz a Escritura: «[O Verbo] veio para quem era seu, e os seus não O receberam; mas a todos quantos O receberam e nele creram, deu o poder de se tornarem filhos de Deus» (Jo 1, 11-12). Portanto, quem acredita no seu nome e se tornou filho de Deus deve começar por dar graças e professar que é filho de Deus ao chamar a Deus seu «Pai que está nos Céus». […]

Como é grande a misericórdia do Senhor, como é grande a sua condescendência e a sua bondade para connosco! Ele quis que, ao orarmos na sua presença, O invocássemos com o nome de Pai, e assim como Cristo é o Filho de Deus, assim também nós nos chamássemos seus filhos! Nenhum de nós ousaria pronunciar este nome na oração se Ele próprio nos não tivesse permitido rezar assim.

Por isso, irmãos caríssimos, devemos lembrar-nos e saber que, chamando a Deus nosso Pai, devemos proceder como filhos de Deus para que, se nós nos honramos de ter a Deus como Pai, também Ele Se honre de nos ter a nós como filhos. Vivamos como templos de Deus (1Cor 3,16), de modo que a nossa vida seja um testemunho da presença de Deus em nós.

São Cipriano de Cartago (c. 200-258)
Da Oração Dominical, 9/11
(Trad. Breviário, Ofício de Leitura, XI semana do Tempo Comum)
Fonte: Evangelho Cotidiano

Anúncios




A Subida ao Carmelo, II, cap. 22

31 07 2014

10369203_1395383187353315_2631643945178658964_n

São João da Cruz (1542-1591), carmelita descalço, doutor da Igreja
A Subida ao Carmelo, II, cap. 22

 

Deus poderia dizer-nos: «O meu Filho é toda a minha Palavra, toda a minha resposta; Ele é a visão plena e toda a revelação. Respondi-vos totalmente, disse-vos tudo e tudo vos manifestei, revelei-vos tudo dando-vo-lo por irmão, companheiro, mestre, herança e recompensa […]: “Este é o meu filho muito amado em quem pus todo o meu enlevo: escutai-o” (Mt 17,5) […].

Portanto, se desejas escutar da minha boca uma palavra de consolação, olha para o meu Filho, que Me obedeceu e que, por amor, Se entregou à humilhação e à aflição, e verás o que Ele te responde. Se desejas que Eu te explique as coisas ocultas e os acontecimentos misteriosos, basta que fixes os teus olhos nele e nele encontrarás encerrados os mistérios mais profundos, a sabedoria e as maravilhas de Deus, como diz o meu apóstolo: Nele, que é o Filho de Deus, “estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento” (Col 2,3). Esses tesouros de sabedoria serão para ti mais sublimes, mais doces e mais úteis que tudo o que pudesses aprender noutros lados. Por isso é que o mesmo apóstolo se gloriava “de não saber outra coisa a não ser Jesus Cristo e Jesus Cristo crucificado” (1Cor 2,2). Se procuras ter visões ou revelações, sejam elas divinas, sejam corpóreas, olha também para Ele enquanto homem e encontrarás muito mais do que julgas possível, porque o apóstolo Paulo também disse: “é nele que habita corporalmente toda a plenitude da divindade” (Col 2,9).»

Por isso, não convém voltar a interrogar a Deus como antigamente e já nem é necessário que Ele fale […]: não há, nem nunca haverá, mais nenhuma verdade de fé a revelar.

Extraído do Evangelho Quotidiano.





A Oração de Jesus segundo o CIC (Hesicasmo)

8 05 2014
Monge rezando com o chotki.

Monge rezando com o chotki.

do Catecismo da Igreja Católica :


Oração a Jesus

2665 A oração da Igreja, alimentada pela Palavra de Deus ea celebração da liturgia, nos ensina a orar ao Senhor Jesus. Mesmo que sua oração é dirigida sobretudo ao Pai, ela inclui em todas as tradições litúrgicas formas de oração dirigidas a Cristo. Alguns salmos, dada a sua utilização na Oração da Igreja, eo lugar do Novo Testamento em nossos lábios e gravam em nossos corações a oração a Cristo, na forma de invocações: Filho de Deus, Palavra de Deus, Senhor, Salvador, Cordeiro de Deus , Rei, Filho Amado, Filho da Virgem, Bom Pastor, nossa Vida, nossa Luz, nossa Esperança, nossa Ressurreição, Amigo da humanidade. . . .

 

2666 Mas o nome que contém tudo o que é o que o Filho de Deus recebeu na sua encarnação: JESUS. O nome divino não pode ser falado por lábios humanos, mas, assumindo nossa humanidade A Palavra de Deus entrega-o para nós e nós podemos invocá-lo: “Jesus”, “YHWH salva”. O nome “Jesus” contém tudo: Deus eo homem e toda a economia da criação e da salvação. Para orar “Jesus” é invocar-lo e chamá-lo de dentro de nós. Seu nome é o único que contém a presença que significa. Jesus é o Ressuscitado, e todo aquele que invocar o nome de Jesus é acolher o Filho de Deus que o amou e que se entregou por ele.

 

2667 Este simples invocação da fé desenvolvida na tradição da oração em várias formas no Oriente e no Ocidente. A formulação mais habitual, transmitida pelos escritores espirituais do Sinai, na Síria, e MT. Athos, é a invocação: “Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, tem misericórdia de mim, pecador”. Ele combina o hino cristológico de Filipenses 2:6-11, com o grito do publicano e os cegos implorando por luz. Por que o coração é aberto a miséria humana ea misericórdia do Salvador.

 

2668 A invocação do santo nome de Jesus é a maneira mais simples de orar sempre. Quando o santo nome é repetido muitas vezes por um coração humildemente atento, a oração não é perdido por amontoando frases vazias, mas aferra-se à palavra e “produz frutos com paciência.” Esta oração é possível “em todos os momentos”, porque não é uma ocupação entre outras, mas a única ocupação: a de amar a Deus, que anima e transfigura toda ação em Cristo Jesus.

 

2669 A oração da Igreja venera e honra o Coração de Jesus, assim como ele chama o seu nome santíssimo. Ela adora o Verbo encarnado e seu coração que, por amor aos homens, ele permitiu a ser perfurado por nossos pecados. A oração cristã gosta de seguir o caminho da cruz nos passos do Salvador. As estações do Pretório ao Gólgota e ao túmulo traçar o caminho de Jesus, que por sua santa Cruz redimiu o mundo.

Fonte pesquisada:http://www.monasterycraftshop.com/jesusprayer.html








%d blogueiros gostam disto: