O padre pode perdoar os pecados?

18 09 2013

confissão

Penitência é um sacramento da Nova Lei, instituído por Cristo, no qual o perdão dos pecados cometidos após o batismo é concedida através de absolvição do sacerdote para aqueles que, com verdadeira tristeza confessar seus pecados e prometer não repetir o mesmo. Ele é chamado de “sacramento” não é simplesmente uma função ou cerimônia, porque é um sinal exterior instituído por Cristo para dar graça à alma. Como um sinal externo que compreende as ações do penitente em apresentar-se ao sacerdote e acusando-se de seus pecados, e as ações do sacerdote em pronunciar a absolvição e impondo absolvição. Todo este processo é normalmente chamado, a partir de uma de suas partes, “confissão”, e isso é dito para ter lugar no “tribunal de penitência”, porque é um processo judicial em que o penitente é ao mesmo tempo o acusador, a pessoa acusado e testemunha, enquanto o sacerdote pronuncia julgamento e sentença. A graça conferida é a libertação da culpa do pecado e, no caso de pecado mortal, desde o seu castigo eterno, portanto, também a reconciliação com Deus, a justificação. Finalmente, a confissão é feita não no segredo do coração do penitente, nem para um leigo como amigo e advogado, nem um representante da autoridade humana, mas a um sacerdote devidamente ordenado com competência necessária e com o “poder das chaves”, ou seja, o poder de perdoar os pecados que Cristo concedeu à Sua Igreja.

A título de explicação adicional é necessária para corrigir certas visões errôneas sobre este sacramento que não  só deturpam a prática da Igreja, mas também levar a uma falsa interpretação da declaração teológica e evidência histórica. Do que foi dito, deve ser claro:

que a penitência não é uma mera invenção humana concebido pela Igreja para garantir o poder sobre as consciências ou para aliviar a tensão emocional de almas atormentadas, é o meio ordinário nomeado por Cristo para a remissão dos pecados. Homem, na verdade é livre para obedecer ou desobedecer, mas uma vez que ele pecou, ​​ele deve buscar o perdão não em condições de sua própria escolha, mas por aqueles que Deus tem determinado, e estes para o cristão são incorporados no sacramento da Penitência.

Nenhum católico acredita que um padre simplesmente como um homem individual, no entanto piedosa ou aprendido, tem o poder de perdoar os pecados. Este poder só pertence a Deus, mas Ele pode e deve exercê-lo através do ministério dos homens. Uma vez que Ele achou por bem exercê-lo por meio deste sacramento, não se pode dizer que a Igreja ou o sacerdote interfere entre a alma e Deus, ao contrário, a penitência é a remoção do obstáculo que mantém a alma para longe de Deus . Não é verdade que, para a Igreja Católica a mera “acusação dos pecados” basta obter o perdão. Sem tristeza sincera e propósito de emenda, nada aproveita confissão, o pronunciamento da absolvição é de nenhum efeito, ea culpa do pecador é maior do que antes.

Embora este sacramento como a dispensa da misericórdia divina facilita o perdão do pecado, de modo algum pecado torna menos odioso ou de suas conseqüências menos terrível para a mente cristã, muito menos que isso implica permissão para cometer o pecado no futuro. No pagamento de dívidas comuns, como por exemplo, por vencimentos mensais, a intenção de contrair novas dívidas com o mesmo credor é perfeitamente legítima, uma intenção semelhante da parte de quem confessa os seus pecados não seria apenas errado em si, mas anularia o sacramento e impedir o perdão dos pecados e então aí confessou.

Estranhamente, a carga oposta é frequentemente ouvida, viz., Que a confissão do pecado é intolerável e difícil e, portanto, alheio ao espírito do cristianismo e da bondade do seu Fundador. Mas este ponto de vista, em primeiro lugar, ignora o fato de que Cristo, embora misericordioso, também é justo e exigente. Além disso, no entanto confissão dolorosa ou humilhante pode ser, mas é uma pena leve para a violação da lei de Deus.Finalmente, aqueles que estão em sério sobre a sua salvação contar nenhuma dificuldade muito grande em que eles podem ganhar de volta a amizade de Deus.

Ambas as acusações, de leniência muito grande e gravidade muito grande, proceda como regra de quem não tem experiência com o sacramento e apenas as mais vagas idéias do que a Igreja ensina ou do poder de perdoar os pecados que a Igreja recebeu de Cristo.”

Publicação informações escritas por Edward J. Hanna. Transcrito por Donald J. Boon. A Enciclopédia Católica, Volume XI. Publicado em 1911. New York: Robert Appleton Companhia. Nihil obstat, 1 de fevereiro de 1911. Remy Lafort, STD, Censor. Imprimatur. + Cardeal John Farley, Arcebispo de Nova York

Anúncios




Pequenas Frases ou Ensinamentos de Santa Teresinha.

23 07 2013
Sta.Teresa de Jesus

Sta.Teresa de Jesus

Tudo é graça.

Amo tanto a Deus que desejo poder dar-lhe prazer
sem que Ele saiba que sou eu.

Não espero na terra qualquer retribuição: faço tudo por Deus.

Quando estiver no Céu, chamar-vos-ei depressa…

Não é a morte que virá buscar-me, é Deus.

Do Evangelho fiz o meu tesouro mais precioso.

A vontade de Deus é que eu lute até à morte.

Deus absorver-me-á como uma gotinha de orvalho.

Lutemos sempre, mesmo sem esperança de ganhar a batalha.

Oh! Bem-aventurado silêncio que tanta paz traz à alma!

Ser carmelita; ser pela minha união convosco mãe das almas: 

essa é a minha vocação.

Eu sempre quis ser santa.

Deus apenas te pede que te deixes amar.

Deus não tem necessidade das nossas obras, mas do nosso amor.

Viver de amor é dissipar o medo e a recordação das faltas passadas.

A oração é um impulso do coração.

Oh! Que grande é o poder da oração!

Dir-se-ia que na oração és como uma rainha que tem livre acesso ao Rei
e que dele podes alcançar tudo o que pedires!

Deus é tão rico que me dá abundantemente o que lhe peço.

A minha vocação é o amor!

Como é doce chamar a Deus nosso Pai!

A vida é um tesouro!

Eu escolhi ensinar a amar o Amor.

quero ensinar a amar o Amor; quero infundir esperança.

Eu não posso ter medo de um Deus, que por mim se fez pequenino.

Vim para salvar almas. E rezar pelos sacerdotes.

Nunca me apoio nos meus próprios pensamentos.

Deus quer que me abandone como uma criança.

A caridade não deve ficar fechada no fundo do coração.

Viver de amor é dar sem medida, sem reclamar salário aqui na terra.

Deus não pode inspirar desejos irrealizáveis.

Quero encontrar maneira de ir par ao Céu
por um caminhinho muito direito, muito curto.

Eu faço como as crianças que não sabem ler:
digo a Deus o que Lhe quero dizer, sem compor belas frases.

Muitas vezes, sem o sabermos,
as graças que recebemos são devidas a uma alma escondida.

No coração da Igreja, minha mãe, eu serei o amor!

Uma alma abrasada em amor não pode permanecer inativa.

Um coração que ama trabalha com amor.

Compreendi que o Amor encerra todas as vocações.

O Amor é tudo.

O Amor é eterno.

A caridade perfeita consiste em suportar os defeitos dos outros.

Deus nunca me abandonou.

Deus não me abandonará.

Estou unida Àquele a quem amei com todas as forças.

Meu Deus, amo-vos!

Não me arrependo de me haver entregue ao Amor.

Haverá alma mais pequena e mais impotente que a minha?

O mérito não consiste em dar muito, mas em amar muito.

Como é fácil agradar a Jesus, basta amá-L’o!

Não é par ao primeiro lugar, mas para o último que eu corro.

Sou filha de Maria.

A Virgem Santíssima é mais Mãe que Rainha.

A Santíssima Virgem teve menos que nós,
porque não teve uma Santíssima Virgem para amar!

Ó Mãe bem-amada, apesar da minha pequenez,
como tu possuo em mim o Omnipotente.

A Santíssima Virgem nunca estará escondida para mim,
porque a amo muito.

Ó Divina Eucaristia! Ó Mistério Sagrado! Que o Amor produziu…

Já não receio os pavores da noite.

Na noite desta vida aparecerei diante de Vós com as mãos vazias.

Não recusemos nada a Jesus. Um dia Ele nos dirá: «Agora é a minha vez»!

É tão doce ajudar Jesus, pelos nossos sacrifícios, salvar almas.

O meu caminho é todo confiança e amor.

Não compreendo as almas que têm medo de um Amigo tão terno.

Não tenho outro modo de Vos provar o meu amor
senão ode Vos atirar flores.

Desejaria ter sido missionária desde a criação do mundo
até ao fim dos séculos.

Amar é tudo dar e dar-se a si mesmo.

Nada fica nas minhas mãos. Tudo o que tenho, 

tudo o que ganho é para a Igreja e para as almas.

Nunca direi a Deus senão amor, por isso Ele devolve-me Amor.

Nós, que corremos pelo caminho do Amor,
não devemos pensar no que nos pode acontecer de doloroso no futuro.

Não me considero uma grande santa! Considero-me uma santa pequenina.

Penso que deus quis pôr em mim coisas que fazem bem a mim e aos outros.

Se os Anjos varressem o Céu, a poeira seria feita de diamantes.

Deus terá de satisfazer todos os meus desejos no Céu.

A minha missão vai começar, a missão de fazer amar a Deus
como eu O amo, de dar às almas o meu pequeno caminho.

Quero passar o meu Céu a fazer bem á terra.

Não posso descansar enquanto houver almas para salvar.

Deus não me daria este desejo de fazer o bem sobre a terra
depois da minha morte, se não quisesse realizá-lo.

Só no Céu veremos a verdade de todas as coisas.

Sou uma alma pequenina que Deus cumulou de graças.

Como gostaria de ter sido sacerdote para pregar sobre a Santíssima Virgem.

Os pregadores apresentam-na inacessível; deviam mostrá-la imitável.

Que seria de mim se Deus não me desse força?

O que mais me agrada é o que Deus quer e escolhe para mim.

Não me arrepende de me ter entregue ao Amor.

Não é «a morte» que virá buscar-me, é Deus.

A Santíssima Virgem cuida bem dos meus recados; 

hei-de confiar-lhe outros numa próxima vez.

Se soubesse como Deus é bom para comigo!
Mas se Ele fosse um bocadinho menos bom,
continuava a achá-l’O ainda bom…





São Poemen, o Grande

22 03 2013
Abba Poemen

Abba Poemen

São Poemen, o Grande, respondendo à pergunta «O que é a fé?», disse que a fé consiste em permanecer na humildade e praticar a misericórdia; isto é, fazer-nos humildes perante todos e perdoar-lhes todas as descortesias e ofensas, todos os seus pecados. (Abba Poemen)


São Poemen, o Grande, respondendo à pergunta «O que é a fé?», disse que a fé consiste em permanecer na humildade e praticar a misericórdia; isto é, fazer-nos humildes perante todos e perdoar-lhes todas as descortesias e ofensas, todos os seus pecados.

Como os tolos zelotes fingem que a fé é a causa fundamental de seu zelo, que eles saibam que a verdadeira fé, e conseqüentemente também o verdadeiro zelo se expressam na humildade perante o próximo e na piedade para com ele. Deixemos o trabalho de julgar e condenar as pessoas para àqueles sobre cujos ombros recaiu o dever de julgar e governar seus irmãos.

«Aquele que é movido pelo falso zelo», diz Santo Isaac, o Sírio, “sofre de uma grave doença». «Ó homem, tu que pensas que podes usar teu zelo contra as debilidades dos outros, tu renunciastes à saúde de tua própria alma! Melhor teria sido dedicardes teus cuidados à cura de ti mesmo; e se queres curar os doentes, saiba que os doentes necessitam de cuidados e não de reprimendas. Mas tu, ao invés de ajudar os outros, atiras-te na mesma enfermidade dolorosa. Este zelo não é tido como forma de sabedoria, mas é uma das doenças da alma, e um sintoma de pequenez da mente e de extrema arrogância. O início da sabedoria divina é a quietude e a doçura, que são o estado mental básico próprio das almas grandes e fortes e que suporta as fraquezas humanas. Vós que sois fortes devem suportar as fraquezas dos fracos (Rom. 15:1), dizem as Escrituras».

E novamente: «Restaure um pecador no espírito da doçura e da gentileza» (Gal. 6:1). O Apóstolo considera a paz e a paciência (Gal. 5:22) como alguns dos frutos do Espírito Santo.





ESCUTAI, JESUS, A MINHA DOR QUASE MORIBUNDA

10 02 2013

Blessed_Alexandrina_da_Costa_1935

Escutai, Jesus, a minha dor quase moribunda. Duro golpe lhe foi dado.

Ó dor, ó dor que matas a dor!

Ó dor, que só por Jesus podes ser conhecida!…

Com os olhos em Vós, Jesus, as calúnias, as humilhações, os desprezos, os ódios, o esquecimento têm a doçura do vosso amor.

Venha tudo, ó Jesus, venha tudo o que Vos aprouver. Morra o meu nome, como sinto que morreu o meu corpo e a minha alma, para que viva o vosso divino amor nos corações e a vossa graça nas almas.

Eis, meu Amado, porque me deixo imolar!

Mas como resistir a tanto, ó Jesus?

Olhai este coração que rebenta, se desfaz em dor!

Não pode com tanto aperto, se não vindes em seu auxílio!

Vinde, vinde, ó Jesus! Socorro, socorro, Jesus!

Meu Deus, se eu soubesse que com o meu sofrimento a vossa con­solação era completa! Se eu pudesse viver fechada neste quar­tinho, sendo Vós, meu Jesus, e estas pobres paredes testemu­nhas das minhas dores, sem que os meus e todos os que me são queridos pudessem recordar que eu vivia aqui e que em dia algum da vida eu tinha vivido na companhia deles, então já não sofria!

Mas vejo que quem sofre mais é o vosso divino Coração e que os que me são queridos sofrem comigo, não podem mais esquecer-me: então faz-me sofrer a mais não poder.

Quantas vezes não posso conter as lágrimas, cega, cega de dor!

… Fito meus olhos no Crucificado, levanto-os ao Céu, fico por algum tempo a contemplar Jesus, e logo as lágrimas, que me pareciam nunca mais terem fim, estancam. Sinto vida nova.

Meu Deus, que luta tremenda! Ai de mim sem Vós, Jesus!

Mãezinha, valei-me, sou a vossa vítima!

Ó Santa Teresinha, Santa Gema, São José e Santos meus mais queridos, valei-me !

Ó Céu, ó Céu, conto contigo.





PROMESSAS DE AGRADECER A CHAMA DO AMOR DO CORAÇÃO DE MARIA IMACULADA

8 02 2013

promessa
A Virgem Mãe faz especialmente para expiar os muitos crimes cometidos ao seu Divino Filho, para homenagear o seu Santas Chagas, para mergulhar com freqüência em sua tortura com amor e adoração do Santíssimo Sacramento. Sacramento.

“Mina Filha, você tem que considerar dia de ação de graças na quinta-feira e sexta-feira.

Aqueles que estão servindo estes dias, receberão grandes graças do Meu Santo Filho. Durante as horas em que você tem a oferecer sacrifícios especiais de reparo, o poder de Satanás será reduzida pela mesma intensidade de suas orações para a salvação dos pecadores (29 de Setembro de 1962).

“Se alguém realiza atos de expiação e adorar ou visitar o Santíssimo Sacramento, durante esse tempo, Satanás perde o poder de as almas da freguesia. (Como uma pessoa cega deixa o seu domínio sobre as almas.) (06-07 novembro 1962)

“Se você ouvir a missa em um dia que não é obrigatório e você está em um estado de graça, estender a graça da Chama de Amor do meu Coração Imaculado, para que também durante este tempo Satanás cegá-lo, irradiando uma abundância de graça sobre aqueles a quem são oferecidos missa Participação nos aumentos sacrifício eucarístico, na maior medida, a cegueira de Satanás. ” (22 de Novembro de 1962)





A chama de amor para a consagração

8 02 2013

mfiamma4

Jesus diz: “Vinde a mim e sacrifica-se no altar da retirada do martírio interior.Por favor, entenda que esta é a minha vontade e que Satanás não tem poder sobre esse martírio..

É uma luta que enfrentou para mim como martírio, nas profundezas das almas dar frutos abundantes. Com os seus desejos e abraçar o mundo inteiro com seus sacrifícios, que queimam com o amor puro, pecados queimadas! Não pense que isso é impossível, ter fé em mim. “(7 de agosto de 1962)

“Fique com firmeza, fazendo sacrifícios, para o lugar onde eu colocá-lo … Eu vou abraçar a cruz que eu muito perto de mim e eu gosto de me crucificai, caso contrário, você não terá a vida eterna.” (4 de outubro de 1962)

Maria diz: “Eu não quero uma festa mariana particular, mas eu rezo para o dia da Candelária (2 de fevereiro) é considerada a Festa da Minha Chama de Amor (1 de Agosto de 1962).”








%d blogueiros gostam disto: