Nossos Talentos

18 07 2013

parabola-dos-talentos

Durante nossa existência, a cada dia, recebemos de Deus talentos para
administrarmos segundo nossa capacidade. Ainda crianças, recebemos o
Batismo, a Crisma e a Eucaristia, sacramentos da iniciação cristã. Há quem prefira
deixar escondidos estes talentos, por motivos tão diversos. Há quem trabalhe
esses talentos fazendo prosperar e multiplicar esses dons, pondo-os à serviço da
Igreja viva, dos irmãos, principalmente os mais necessitados.
Como na parábola, a cada um é dado os dons segundo a sua capacidade. Esses
dons devem ser compreendidos à luz da fé e à luz da disposição em servir. É
preciso que estejamos atentos ao tempo oportuno para nos dispormos à entrega,
ao oferecimento pelo outro. Os dons nos foram dados, mas não somos
proprietários destes dons. O Único senhor é Deus e a Ele devemos devolver estes dons, não como
recebemos simplesmente, mas transformados. Para isso a luta é necessária, o combate à indolência, à
preguiça, ao comodismo devem conduzir nosso espírito aos desafios. Um cristão consciente de sua condição
filial divina, é alguém que está pronto para os grandes desafios; é alguém que se põe a frente, que ocupa os
lugares de vanguarda, abrindo trincheiras no meio dos obstáculos. São Paulo escreve a Timóteo a este
respeito: “Suporta os trabalho a ti confiados como bom soldado de Cristo. Nenhum atleta será coroado se
não tiver bem competido. É preciso que o lavrador trabalhe com afinco se quiser boa colheita” (2Tm 2,4-6).
Conforme nossa capacidade em administrar os dons, Deus vai nos dispondo
outros. É imperioso, no entanto, frisar que quanto mais forem o número de
dons a nós confiados, tanto maior nos será exigido bons resultados. Os
primeiros talentos, se bem trabalhados, nos fazem aptos a receberem outros.
A alguns é dado o dom da profecia,a outros, o dom da cura, a outros o dom
das línguas, a outros o dom da pregação, a outros o dom de saber escutar, a
outros o dom da misericórdia. Mas quais sejam esses dons, todos devem ter
como base a caridade. Sem ela de nada valem os dons; sem ela nos anulamos
e aniquilamos a graça depositada em nós. ( 1Cor 12). “Acima de tudo revesti-vos da caridade que é vinculo da perfeição” (Cl 3,14).

Anúncios

Ações

Information

2 responses

18 07 2013
vera

caro amigo tarciso gostei de receber tuas postagem li com afinco..obrigada..

Curtir

19 07 2013
Tarcísio

Obrigado minha amiga, fique com Deus.
Que Jesus seja sua luz em seu caminho.
PAZ E BEM!!!!

Curtir

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: